Transtorno Bipolar: O que você precisa saber sobre o assunto

bipolar
Por: Ane Caroline Janiro

 

30 de março é o Dia Mundial do Transtorno Bipolar e o objetivo desta data é a conscientização e a eliminação de estigmas e preconceitos.

E nada melhor para combater um preconceito do que o conhecimento. Então vamos lá: o que é importante sabermos sobre o assunto? Vamos falar tópico por tópico.

  • O que é o Transtorno Bipolar?

É um transtorno caracterizado por alterações de humor que se distinguem entre episódios “depressivos” e de “mania” (ou de euforia) em graus de intensidade diversos e que podem acontecer isoladamente, estarem presentes quase que simultaneamente, ou mesmo um dos episódios (normalmente o depressivo) pode ocorrer com mais frequência do que o outro. A maior ocorrência é em pessoas com menos de 30 anos de idade e pode estar ligada a uma predisposição genética ou alterações específicas no cérebro, o que não é totalmente comprovado. Existe a hipótese de que outros fatores também podem desencadear este transtorno, como o uso de drogas e alguns tipos de medicamentos psiquiátricos ou traumas.

  • Quais são as principais características dos episódios de mania e dos depressivos?

Mania: impaciência, inquietação, confiança exagerada, euforia, pensamentos acelerados, insônia, ansiedade e, em extremos, até mesmo a perda de contato com a realidade.

Pode ocorrer também a “hipomania” que é uma forma mais branda do episódio de mania, onde a pessoa, apesar de se sentir agitada, ansiosa e com os demais sintomas citados acima, consegue dar continuidade às suas atividades rotineiras sem grandes prejuízos para a vida cotidiana.

Depressão: pode ser leve, moderada ou grave e os principais sintomas podem ser de humor melancólico, irritabilidade, perda ou aumento do apetite e do peso, perda de interesse por atividades que antes eram prazerosas, excesso de sono ou mesmo insônia, pensamentos de morte.

Também pode ocorrer o chamado “estado misto”, que é caracterizado por sintomas maníacos e depressivos ao mesmo tempo, alternando-se em um intervalo de tempo menor. Os sintomas que ocorrem mais comumente nestes casos são de ansiedade, angústia, raiva e hostilidade.

  • Existem tipos diferentes de Transtorno Bipolar?

Sim. Ele é dividido normalmente em “Tipo I” e “Tipo II” e esta divisão é baseada na presença ou na ausência de mania, que neste caso pode se apresentar como hipomania, independente da gravidade dos episódios.

O Tipo I ocorre em cerca de 1% da população e é caracterizado pela presença dos dois episódios (de mania e de depressão) e o Tipo II é caracterizado pela alternância entre os episódios de depressão e hipomania e pode atingir cerca de 8% da população. Entre os dois tipos, é estimado que até 15 milhões de brasileiros tenham o Transtorno Bipolar. Hoje se fala do termo “Espectro Bipolar”, que busca incluir as diferentes manifestações.

Existe ainda a Ciclotimia, que consiste em mudanças de humor cíclicas caracterizadas por episódios de hipomania e depressão leve.

  • Quais as consequências do agravamento do Transtorno Bipolar?

O Transtorno Bipolar tem como sua mais grave consequência a mortalidade, cuja principal causa é o suicídio, em especial entre jovens. Outras causas são doenças clínicas que ocorrem mais frequentemente em pessoas com este transtorno, como obesidade, diabetes e problemas cardiovasculares. Ainda, outro fator é a associação com o consumo de álcool e outras drogas, o que “agrava o curso e o prognóstico, piora a adesão ao tratamento e aumenta em duas vezes o risco de suicídio”.

  • Qual o tratamento para o Transtorno Bipolar?

É importante lembrar que apenas um especialista em saúde mental poderá estabelecer diagnóstico e tratamento corretos para cada caso. Mas uma vez detectado o Transtorno Bipolar, o tratamento normalmente inclui a indicação de medicações estabilizadoras de humor, associação de antidepressivos e/ou antipsicóticos (varia de caso para caso). Além disso, o acompanhamento em psicoterapia é extremamente válido para o controle dos episódios de depressão e mania.

Embora as consequências do Transtorno Bipolar possam ser bem graves e intensas (e ainda não ter cura), é possível que uma pessoa com este transtorno leve uma vida praticamente normal, apesar de desafiadora. Isso será resultado de um tratamento correto e efetivo e de hábitos saudáveis.

Importante: todos nós passamos por mudanças de humor ao longo do dia e da semana, a diferença entre o que ocorre quando há o Transtorno Bipolar é a intensidade e a velocidade dessas mudanças, além de como este problema afeta a vida do indivíduo e gera sofrimento e incapacitação para o mesmo.

Referência: Associação Brasileira de Transtorno Bipolar

***

OBS.: Todo o conteúdo desta e de outras publicações deste site tem função informativa e não terapêutica.

 


10516729_1448233238791949_8127215912485502492_n Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, idealizadora e editora deste blog.

Saiba mais aqui!